Contexto Escolar

Modelos de Resposta à Intervenção (RTI)

Os Modelos de Resposta à Intervenção (no inglês Response to Intervention – RTI) utilizam instruções baseados em evidências que permitem:

  • identificação precoce de estudantes com dificuldades
  • monitoramento do aprendizado dos estudantes
  • oferta de intervenções cada vez mais intensivas e individualizadas para o desenvolvimento das habilidades acadêmicas

São voltadas para o desenvolvimento das habilidades acadêmicas:

  • leitura de palavras;
  • compreensão de textos;
  • expressão escrita;
  • execução de cálculos matemáticos;
  • resolução de problemas.

As intervenções são organizados em três níveis, conforme a resposta dos estudantes à instrução.

  • Camada 1 – Intervenção Preventiva

É voltada para todos os estudantes. O professor de sala de aula realiza intervenção de alta qualidade através de estratégias de ensino apoiadas em pesquisas científica. Para isso, há uma construção de atividades com o auxílio de profissionais experientes e/ou pesquisadores.  O monitoramento dos estudantes é feito através de testes que avaliam o desenvolvimento das habilidades acadêmicas.  Conforme a resposta dos estudantes à intervenção, as estratégias de ensino vão sendo modificadas. O monitoramento oferece curvas de desenvolvimento, que são consideradas para se verificar a necessidade de intervenções mais intensivas (camada 2 ou 3).

  • Camada 2 – Intervenção Suplementar

É voltada para pequenos grupos de estudantes que não responderam adequadamente à Intervenção Preventiva (Camada 1). Profissionais experientes realizam a intervenção de alta qualidade em horário alternativo ao ensino regular. Para isso, há programas de intervenção intensivos para o desenvolvimento de determinada habilidade. Assim como na camada 1,  o monitoramento da resposta dos estudantes à intervenção serve para modificar as estratégias de ensino e para verificar a necessidade de intervenções mais intensivas (camada 3).

  • Camada 3 – Intervenção Remediativa

O atendimento é individual (pode também ser feito com duplas ou trios) e é voltado para estudantes que apresentam dificuldades e/ou transtornos de aprendizagem importantes. Assim, são aqueles que não responderam adequadamente às Intervenções Preventiva (Camada 1) ou Suplementar (Camada 2). Profissionais experientes realizam a intervenção de alta qualidade em horário alternativo ao ensino regular, na escola ou em clínicas especializadas. Em muitos casos, o plano terapêutico é construído com o auxílio de uma equipe multidisciplinar, a fim de abarcar causas e consequências biopsicossociais. Assim como nas camada 1 e 2,  o monitoramento da resposta dos estudantes à intervenção serve para modificar as estratégias e a intensidade da intervenção.

Por Francéia Liedtke, psicóloga clínica e pesquisadora

mestranda no Programa de Pós  Graduação em Psicologia  – UFRGS

Pesquisadora do Núcleo de Estudos em Neuropsicologia Cognitiva – UFRGS