Contexto Escolar

Dia Mundial da Alfabetização: vamos falar sobre o contexto educativo atual?

Diferentes áreas de interface com a Educação têm demonstrado nas últimas décadas  interesse em compreender como as crianças aprendem a ler e a escrever. Pesquisas recentes em Neurociências trazem contribuições importantes para compreendermos os mecanismos de processamento da leitura e escrita nos anos iniciais. Sabemos que aspectos como vocabulário, consciência fonológica e reconhecimento automatizado letra-som, por exemplo, têm impacto relevante no processo de aprendizado do código escrito.

No entanto, hoje em dia observamos que, apesar do avanço das evidências científicas a respeito do processo de aprendizagem (e principalmente acerca das dificuldades na aquisição dessa competência), há poucos reflexos no cotidiano da escola. Não há um consenso sobre quais métodos são os mais efetivos para que as crianças possam se tornar leitoras fluentes e compreendam o mundo escrito que as circunda.

No Brasil, a Meta 9 do Plano Nacional de Educação – que visa diminuir gradativamente as taxas de analfabetismo até 2024 – está longe de alcançar o objetivo proposto. De acordo com o IBGE, ainda que a porcentagem de pessoas analfabetas tenha diminuído, estima-se que um total de 11,8 milhões de pessoas acima de 15 anos que não sabem ler/escrever.

Dessa forma, o grande desafio para a Educação no contexto atual é conseguir implementar práticas eficazes de apoio nos diferentes níveis etários. Esse desafio implica no investimento de longo prazo em formação profissional, pesquisa científica e aplicação de recursos que auxiliem a superar obstáculos no desenvolvimento da alfabetização.

 

Por Julia Scalco Pereira, pedagoga,

especialista em Neuropsicologia, doutoranda em Psicologia

Pesquisadora do Núcleo de Estudos em Neuropsicologia Cognitiva (UFRGS)