Dia a dia

Setembro Amarelo

Sabe aquela criança que já não sorri e não brinca com seus amigos?

E aquela que está sempre irritada e explode por qualquer coisa?

Sabe aquele adolescente que não quer sair de casa?

E o outro que até era bom aluno e agora está com notas péssimas?

Sabe aquela menina que usa moletom de mangas compridas até no calor de 38º do verão de Porto Alegre?

Não! Elas não são crianças malcriadas. Não são adolescentes rebeldes ou preguiçosos. Eles não querem apenas chamar a atenção.

Lembra daquela menina do moletom? Será que acha tão legal cortar os braços só porque viu na internet? Ou será que isso deve ser moda?

NÃÃÃO! Por favor, não! Na verdade, isso muitas vezes é um pedido de socorro: “ME AJUDA!”.

A depressão é uma doença grave e relativamente comum. Está presentes nos mais variados tipos de famílias e em escolas públicas e particulares. Atinge pessoas de todas as idades e muitas vezes apresenta sinais sutis. Por isso, precisamos ficar muito atentos para reconhecê-la com agilidade e dar chance para o tratamento já que o pior desfecho é o suicídio.

Pai, mãe, vocês não são culpados.

Professores, vocês não são maus profissionais.

No entanto, vocês são a nossa ferramenta de detecção. Estejamos todos atentos. Não só nesse setembro amarelo, mas em todos os dias do ano. Juntos vamos prevenir o suicídio.

Vanessa Heidmann Moura – Médica Psiquiatra e Pediatra